Como Devem Ser As Nossas Apresentações Musicais?

Este é um pequeno trecho extraído ou preparado com base em uma palestras da série "Música, Bênção ou Maldição?".
Para informações adicionais clique aqui

Surge aqui a pergunta: Como devem ser as nossas apresentações musicais? Ellen G. White responde em poucas palavras: "A melodia do canto, derramando-se dos corações num tom de voz claro e distinto, representa um dos instrumentos divinos na conversão de almas. Todo o serviço deve ser efetuado com solenidade e reverência, como se fora feito na presença pessoal de DEUS mesmo." - Testemunhos Seletos, vol.2, p. 195.

"Com solenidade e reverência, como se fora feito na presença pessoal de DEUS mesmo." A trombeta do testemunho cristão não pode estar fora de tom: Não há lugar para a irreverência, para a falta de preparo, para músicas impróprias, para volume de som inadequado, vestuário inadequado, exibicionismo e exaltação dos cantores, expressões vocais e físicas impróprias ou qualquer outra coisa que estaria fora de lugar na presença pessoal de DEUS.

Também não há lugar para o emocionalismo: "Outros ainda vão ao extremo oposto, pondo mais força nas emoções religiosas, e manifestando intenso zelo nas ocasiões especiais. Sua religião parece ser mais da natureza de um estimulante do que uma permanente fé em CRISTO.

"Os verdadeiros pastores conhecem o valor da obra interior do ESPÍRITO SANTO sobre o coração humano. Satisfazem-se com a simplicidade nos cultos. Em vez de dar valor ao canto popular, volvem sua atenção principalmente para o estudo da Palavra, e dão de coração louvor a DEUS. Acima do adorno exterior, consideram o interior, o ornamento de um espírito manso e quieto. Na sua boca não se acha engano." Manuscrito 21, 1891. - Evangelismo, pág. 502.

Mais alguns conselhos sábios da pena inspirada: "Um pastor não deve designar hinos para serem cantados, enquanto não estiver certificado de que os mesmos são familiares aos que cantam. Uma pessoa capaz deve ser indicada para dirigir esse serviço, sendo seu dever verificar que se escolham hinos que possam ser entoados com o espírito e com o entendimento também.

"O canto é uma parte do culto de DEUS, porém na maneira estropiada por que é muitas vezes conduzido, não é nenhum crédito para a verdade, nenhuma honra para DEUS. Deve haver sistema e ordem nisto, da mesma maneira que em qualquer outra parte da obra do SENHOR. Organizai um grupo dos melhores cantores, cuja voz possa guiar a congregação, e depois todos quantos queiram se unam com eles. Os que cantam devem esforçar-se para cantar em harmonia; devem dedicar algum tempo a ensaiar, de modo a empregarem esse talento para glória de DEUS." Review and Herald, 24 de julho de 1883. – Evangelismo, pág. 506.

Podemos inserir aqui a orientação do apóstolo Paulo: "Tudo, porém, seja feito com decência e ordem." I Coríntios 14:40.

O texto do Espírito de Profecia que acabamos de ler vai mais além e diz que "não se deve deixar, porém, que o canto distraia a mente das horas de devoção. Se alguma coisa deve ser negligenciada, seja então o canto." Review and Herald, 24 de julho de 1883. – Evangelismo, pág. 506.

Tais palavras nos levam a analisar a impropriedade das ocasiões em que alguém está cantando, talvez baixinho, após um apelo, enquanto outra está dirigindo a oração. O conselho é: "Se alguma coisa deve ser negligenciada, seja então o canto." (idem). Se a música instrumental usada em ocasiões semelhantes, em momentos de oração, puder distrair a mente, devemos aplicar a mesma regra. A música durante a oração pode aparentar ser algo belo, comovente, apelativo, porém a orientação divina é para que nada "distraia a mente" quando esta se aproxima de DEUS em oração.

"Todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas edificam." I Coríntios 10: 23. Você não deve permitir que a trombeta do seu testemunho dê sonido incerto "... nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça." Romanos 14:21.

As trombetas de Gideão e seu 300 companheiros não deram sonido incerto, nem as de Josué, ao redor de Jericó. Quando nos colocamos inteiramente nas mãos de DEUS, hoje, como no passado, Ele se manifesta de maneira gloriosa.

Somos colocados como atalaias, como vigias sobre a torre, guardando a cidade espiritual que se prepara para a volta do Rei JESUS. Devemos saber a hora e a maneira correta de tocar a trombeta, de dar o alerta, de avisar o povo de algum perigo iminente. "Tocar-se-á a trombeta na cidade, sem que o povo se estremeça?" Amós 3: 6. Por isso chega até nós a ordem divina: "Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados." Isaías 58: 1.

Seu dever é, por sua voz e pelo ser testemunho, dar o aviso certo, da maneira certa, não importando se os ouvidos estarão abertos ou os corações endurecidos. O que virá depois a DEUS pertence, mas devemos fazer a nossa parte. Quem não der a devida atenção ao testemunho dado de maneira correta terá que responder por sua própria decisão. "Ele ouviu o som da trombeta, e não se deu por avisado; o seu sangue será sobre ele. Se, porém, se desse por avisado, salvaria a sua vida. Mas se, quando o atalaia vir que vem a espada, não tocar a trombeta, e não for avisado o povo, e vier a espada e levar alguma pessoa dentre eles, este tal foi levado na sua iniqüidade, mas o seu sangue eu o requererei da mão do atalaia." Ezequiel 33: 5 e 6.

"Gostaria de poder conduzir-lhes a mente para a glória futura e gravar sobre cada uma o grande sacrifício que teve de ser feito para redimir a raça humana. Se irão apreciar essa glória, depende de vocês.

"A cada um Deus concedeu talentos, e se negligenciarmos cultivá-los, falharemos e perderemos a vida eterna. Fez-se por nós tudo o que podia ser feito para enobrecer-nos, e se por nossa parte fracassamos, terá sido em vão o sacrifício no que tange ao nosso caso. Seremos nós pesados na balança e achados em falta? Ou estaremos com a multidão vestida de branco? Isso dependerá do rumo de nossos atos. Se nos encontramos na oficina de Deus, Ele nos embelezará e polirá, e estaremos habilitados para as mansões celestes." – CRISTO Triunfante, pág. 65.

A trombeta do nosso testemunho deve dar o sonido certo, pois, só assim chegaremos com alegria àquele dia glorioso, quando soará a última trombeta. "E Ele enviará os seus anjos com grande clangor de trombeta, os quais lhe ajuntarão os escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus." S. Mateus 24:31. "As nuvens começam a enrolar-se como um pergaminho e eis ali o brilhante e claro sinal do Filho do homem. Os filhos de DEUS sabem o que essa nuvem significa. Ouvem-se sons musicais... soará a última trombeta, e toda a Terra, dos cumes das mais altas montanhas aos mais baixos recantos das minas mais profundas, a ouvirá. Os justos mortos ouvirão o som da última trombeta e sairão de suas sepulturas, para ser revestidos da imortalidade e encontrar-se com o seu SENHOR". – Eventos Finais, pág. 276 e 278.

Estamos nos preparando para esse dia? Nossos louvores estão ajudando às pessoas que os assistem a se prepararem também? DEUS não pode aceitar um serviço de louvor e adoração prestado de forma negligente, descuidada ou não nos diria, como disse a Abraão: "anda em minha presença e sê perfeito". Gênesis 17:1. Não podemos entrar na presença de DEUS para agradarmos a nós mesmos, muito menos ao "velho homem".

Temos hoje a oportunidade de nos preparando para aquele lugar de suprema perfeição que JESUS preparou para os Seus filhos fiéis. A partir de hoje, quando pensarmos em louvor, pensemos sempre no melhor: Melhor em conteúdo, pois nem toda música é adequada; melhor em qualidade, não negligenciando o preparo, com muita dedicação; melhor em consagração, pois o louvor deve vir de um coração sincero; melhor em sua forma, pois é necessário que JESUS apareça e não o cantor; melhor no testemunho, de maneira que haja louvores a DEUS e não comentários lamentáveis vindo dos lábios daqueles que assistiram; melhor em tudo, para que JESUS seja tudo em todos.

Aqui, por mais que nos esforcemos, nunca conseguiremos erguer um louvor realmente perfeito. Que diremos então se não nos esforçarmos? Em breve, porém, estaremos com o nosso SALVADOR naquele país, nas terras além do rio, num lugar onde tudo é prefeito. Então, e só então, poderemos presenciar e participar do que seja, realmente, um louvor perfeito.