Textos do Manual da Igreja
Relacionados com a Música
(Revisado na Assembléia da Associação Geral de 2000)

[pág. 72]

O Lugar da Música no Culto Divino

O Lugar da Música na Adoração. – "A música pode ser uma grande força para o bem; não fazemos, entretanto, o máximo com esse ramo do culto. O canto é feito em geral por impulso ou para atender a casos especiais, e outras vezes deixam-se os cantores ir errando, e a música perde o devido efeito no espírito dos presentes. A música deve ter beleza, emoção e poder. Ergam-se as vozes em hinos de louvor e devoção. Chamai em vosso auxílio, se possível, a música instrumental, e deixai ascender a DEUS a gloriosa harmonia, em oferta aceitável." - Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 457.

Cantar com o Espírito e o Entendimento. – "Em seus esforços para alcançar o povo, os mensageiros do SENHOR não devem seguir os caminhos do mundo. Nas reuniões que se realizam eles não devem confiar em cantores do mundo e exibições teatrais para despertar a interesse. Como se há de esperar daqueles que não tem nenhum interesse na palavra de DEUS, que nunca leram Sua Palavra com o sincero desejo de compreender-lhe as verdades, que cantem com espírito e entendimento? Como pode seu coração achar-se em harmonia com as palavras do sagrado hino? Como pode o coro celeste tomar parte numa música apenas formal? ...

"Nas reuniões realizadas, escolha-se um grupo de pessoas para tomar parte no serviço de canto. E seja este acompanhado por instrumentos de música habilmente tocados. Não nos devemos opor ao uso de instrumentos musicais em nossa obra. Esta parte do serviço deve ser cuidadosamente dirigida; pois é o louvor de DEUS em cântico.

"Nem sempre o canto deve ser feito apenas por alguns. Tanto quanto possível, permita-se que toda congregação participe." -- Testimonies, vol. 9, págs. 143 e 144.

A Escolha de Diretores de Música. – Deve-se ter grande cuidado na escolha de diretores de coro ou na dos encarregados da música nos cultos da igreja. Somente os que se sabe serem inteiramente consagrados devem ser escolhidos para esta parte da obra da igreja. Incontável dano poderá ser causado pela escolha de diretores não consagrados. Aqueles a quem falta discernimento para a devida e apropriada escolha da música para o culto divino não devem ser escolhidos. A música profana ou que é de natureza duvidosa ou questionável nunca deve ser introduzida em nossos cultos.

Os dirigentes do coro devem atuar em íntima colaboração com o pastor ou com o ancião da igreja, a fim de que a escolha de músicas especiais se harmonize com o assunto do sermão. O(a) diretor(a) do coro está sob a direção [pág. 73] do pastor e dos anciãos da igreja, e não atua independentemente deles. Deve consultá-los, não somente quanto à música a ser executada, mas também no tocante à escolha de quem deverá cantar ou tocar. O(a) diretor(a) do coro não é membro ex-ofício da comissão da Igreja.

Os Membros do Coro da Igreja. - A música sacra é uma parte importante do culto público. Na escolha dos membros do coro, a igreja precisa ter o cuidado de escolher pessoas que representem corretamente os princípios da igreja. Os membros do coro ocupam uma posição relevante nos cultos da igreja. A capacidade de cantar é apenas uma das qualificações que devem possuir. Devem ser membros da igreja, da Escola Sabatina ou da Sociedade dos Jovens Adventistas e, em sua aparência pessoal e em sua maneira de vestir, conformar-se com as normas da igreja, dando um exemplo de modéstia e decoro. Pessoas de consagração duvidosa ou de caráter questionável, ou as que não se vistam convenientemente, não devem ter permissão para participar das atividades musicais dos cultos. Qualquer plano a respeito do uso de uniformes pelos membros do coro é optativo da parte da igreja.

A organização de coros de crianças deve ser incentivada como meio eficaz de nutrição espiritual, unindo a família da igreja, e de penetração missionária.

[pág. 74]

A Santidade da Hora do Culto Sabático. – A adoração a DEUS é a mais elevada e a mais santa experiência que os seres humanos podem ter, e deve exercer-se o maior cuidado ao fazer os planos para este culto. ...

"Ao exprimir-Lhe a nossa gratidão, estamo-nos aproximando do culto que Lhe é prestado pelas hostes celestes. ‘Aquele que oferece sacrifício de louvor Me glorificará.’ Sal. 50:23. Cheguemos, pois, com reverente alegria a nosso Criador, ‘com ações de graças e voz de melodia’. Isa. 51:3." – Caminho a CRISTO, págs. 103 e 104.

A Forma do Culto. – O culto de sábado de manhã consiste de duas partes principais: A atitude de louvor e adoração por parte da congregação, expressada nos hinos, na oração e nas ofertas; e a mensagem da Palavra de DEUS. (Ver Notas, #1, pág. 87.)

Não prescrevemos uma forma ou ordem específica para o culto público. Em geral, uma ordem simples é a que mais convém ao verdadeiro espírito do culto. Os longos preliminares devem ser evitados. Os exercícios de abertura não devem, em circunstância alguma, consumir o tempo necessário para a adoração e para a pregação da Palavra de DEUS. (Para formas de culto sugestivas, ver Notas, #2, pág. 88.)

[pág. 78]

Dirigindo a Cerimônia da Comunhão.

Preliminares. – A parte introdutória da cerimônia deve incluir somente anúncios muito breves, hino, oração, oferta e um sermonete antes da separação para o lava-pés; e, então, o retorno para a Ceia do SENHOR. Se a primeira parte do culto for breve, mais adoradores se sentirão animados a ficar para a cerimônia completa.

Celebração. – A cerimônia pode encerrar-se com uma apresentação musical ou cântico congregacional, seguido da bênção. Seja como for o encerramento, ele deverá culminar com um tom vibrante. A comunhão sempre deve ser uma experiência solene, mas nunca sombria. Os erros foram corrigidos, perdoados os pecados, reafirmada a fé; é tempo de comemorar. Que a música seja animada e alegre!

[pág. 87]

Notas

Estas notas contém material explicativo a respeito de como as igrejas locais podem proceder em determinados aspectos. Elas podem adotar maneiras alternativas de lidar com tais itens. Tais métodos alternativos devem estar em harmonia com os princípios aceitos e adotados pela organização da Igreja Adventista do Sétimo Dia em geral.

  1. A Forma do Culto. (Ver pág. 74.) – Quando os ministros sobrem à plataforma e se ajoelham, a congregação também deve, com a cabeça inclinada, implorar a presença e a bênção de DEUS. O silêncio reverente prepara o espírito para o hino inicial e os exercícios que se seguem.

As duas partes do Culto Divino são as seguintes:

  1. A atitude de louvor e adoração por parte da congregação, expressada nos hinos, na oração e nas ofertas.
  2. A mensagem da palavra de DEUS. Aquele que traz a mensagem e distribui [pág. 88] o pão da vida deve sentir plenamente a natureza sagrada dessa obra e estar cabalmente preparado para isso. Assim também, a pessoa que guia os adoradores à presença de DEUS por meio da oração pastoral realiza talvez o exercício mais sagrado de todo o culto, e, com um senso de temor respeitoso, deve humildemente compreender sua importância. Convém que se ajoelhe de frente para a congregação, e esta, por sua vez, até onde seja possível, ajoelhar-se-á de frente para a plataforma. A oração deve ser curta, mas conter adoração, agradecimento e a menção das necessidades pessoais dos adoradores, bem como as do grande campo mundial.

A música especial, ou um hino devocional, é oportuna imediatamente antes do sermão. Em seguida, vem o que deve ser uma das partes mais importantes da hora do culto: o ato de alimentar espiritualmente o rebanho de DEUS. Benditos são os resultados que para a glória de DEUS sempre se seguem quando uma congregação realmente é alimentada e sente que "DEUS visitou Seu povo".

A oferta é uma parte vital na hora do culto. Ao mesmo tempo que somos aconselhados a adorar ao SENHOR "na beleza da Sua santidade", também somos exortados a trazer "oferendas", e entrar nos Seus átrios" (Sal. 96:9 e 8). Assim, a apresentação de nossas ofertas a DEUS encontra seu lugar de modo totalmente natural como parte do culto divino.

O ancião, especialmente se ele é um ministro licenciado, colabora com o pastor regular no planejamento da ordem do culto. Se a igreja não tem pastor regular, o ancião está encarregado de cuidar do culto, e deve dirigi-lo ou tomar providências para que outro o faça. Se um ministro ordenado estiver presente, o ancião, naturalmente, o convidará para assumir a direção do culto. De vez em quando, poderá ser realizada uma reunião de testemunhos e louvor, ou o tempo ser concedido a determinados membros para contarem suas experiências na obra missionária.

2. A Forma do Culto. (Ver pág. 74.) – As seguintes são duas formas de culto sugestivas:

Ordem de Culto Mais Longo

Prelúdio de Órgão
Anúncios
Coro e Entrada dos Pastores
Doxologia
Invocação
Leitura das Escrituras Sagradas
Hino de Louvor
[pág. 89]
Oração
Cântico ou Música Especial
Oferta
Hino de Consagração
Sermão
Hino
Bênção
A Congregação permanece de pé ou sentada para uns momentos de oração silenciosa
Poslúdio de Órgão

Ordem de Culto Mais Curto

Anúncios
Hino
Oração
Oferta
Hino ou Música Especial
Sermão
Hino
Bênção
A Congregação permanece de pé ou sentada para oração silenciosa

4. Pão e Vinho. (Ver pág. 78.) – Pode ser cantado um hino enquanto a congregação volta a se reunir, os pastores ou anciãos oficiantes ocupam seu lugar junto à mesa sobre a qual foram colocados o pão e o vinho, e os diáconos e as diaconisas tomam seu lugar na primeira fila. Retira-se a tolha que cobre o pão. Pode-se ler uma passagem apropriada das Escrituras, como I Coríntios 11:23 e 24, Mateus 26:26, Marcos 14:22 ou Lucas 22:19, ou pode ser apresentado um breve sermão [pág. 90] neste ponto da cerimônia, em vez de em momento anterior. Isso será especialmente eficaz se o sermão enfatizar o significado do pão e do vinho, de modo que sua mensagem ainda esteja na mente dos participantes ao serem distribuídos os emblemas. Os oficiantes normalmente se ajoelham enquanto se pede a bênção sobre o pão. A congregação pode ajoelhar-se ou permanecer assentada. A maior parte do pão a ser servido é partida com antecedência, deixando-se uma pequena porção em cada prato, para que os pastores ou anciãos a partam. O pastor e os anciãos passam os pratos que contêm o pão aos diáconos, e estes o servem à congregação. Durante esse período de tempo, pode haver música especial, testemunhos, um resumo do sermonete, leitura seleta, cântico congregacional ou música de meditação, ao órgão ou piano. ...

[pág. 96]

A Comissão da Escola Sabatina. – A Comissão da Escola Sabatina é o corpo administrativo desta última. Compõe-se do(a) diretor(a) (que atua como presidente), dos(as) vice-diretores(as), do(a) secretário(a) (que atua como secretário da comissão), dos(as) vice-secretários(as), dos(as) diretores(as) das divisões, do(a) secretário(a) do Fundo de Inversão, do(a) diretor(a) dos Ministérios Pessoais, do(a) coordenador(a) dos Ministérios das Crianças, do(a) diretor(a) da Escola Cristã de Férias, de um ancião (designado pela Comissão da Igreja ou pela comissão de anciãos) e do pastor. Quanto antes possível, após a eleição dos oficiais, o(a) diretor(a) deve convocar uma reunião da Comissão da Escola Sabatina para nomear, segundo for necessário para as várias divisões, outros oficiais que não fazem parte da Comissão da Escola Sabatina. Estes podem abranger os(as) vice-diretores das divisões, os(as) secretários(as) das divisões, os(as) diretores(as) de música, as(os) pianistas e/ou organistas, e as(os) recepcionistas.

[pág. 98]

O(a) Diretor(a) de Música [da Escola Sabatina] - A comissão da Escola Sabatina poderá designar um(a) diretor(a) de música, para dirigir a música da escola e fazer planos com o(a) diretor(a) para a apresentação deste aspecto da adoração, cada sábado.

Como expressão de adoração, deve-se ter o cuidado de prover música que glorifique a DEUS. Os cantores devem ser escolhidos com tanto cuidado como os que desempenham outras partes no programa da Escola Sabatina, e aferidos pelas mesmas normas (Ver pág. 72).

[pág. 104]

[Os oficiais da Sociedade dos Jovens Adventistas]

Os oficiais da Sociedade dos Jovens Adventistas, eleitos pela igreja, são estes: diretor(a), vice-diretor(a), secretário(a)-tesoureiro(a), vice secretário(a)-tesoureiro(a), diretor do coro ou da música, pianista ou organista, e conselheiro, o qual pode ser um dos anciãos locais. Visto que a música desempenha um papel muito importante na formação do caráter dos jovens, os músicos devem ser escolhidos com tanto cuidado como os outros oficiais da Sociedade dos Jovens Adventistas. (Ver pág. 72.) Este grupo constitui o núcleo do Conselho da Sociedade dos Jovens Adventistas, o qual, de comum acordo com os jovens, nomeia outros oficiais, tais como: diretor(a) de comunhão ou social, diretor(a) devocional, bibliotecário(a), diretor(a) de publicidade e dirigentes de grupos de ação. Nas igrejas menores, uma só pessoa terá necessariamente de assumir diversas responsabilidades. O maior número possível de jovens deve estar envolvido no planejamento e na execução do programa dos jovens.

[pág. 106]

[A Sociedade dos Juvenis Adventistas]

Embora o(a) professor(a) seja o(a) diretor(a) ou o(a) conselheiro(a) da sociedade, os alunos devem dirigir as reuniões, as quais geralmente são realizadas durante o período da primeira aula. Os oficiais dos alunos – que incluem o(a) diretor(a) estudantil, o(a) vice-diretor(a), o(a) secretário(a), o(a) tesoureiro(a), o(a) diretor(a) de música, a(o) pianista e qualquer outra responsabilidade de liderança que a classe decida ter – são escolhidos pela classe, sob orientação do(a) professor(a). Normalmente, os oficiais exercem suas funções por um mês a um trimestre, a fim de dar a todos os alunos a oportunidade de preparo e responsabilidade de liderança.

[pág. 128]

11. A Sociedade de Juvenis Adventistas. (Ver pág. 106.) – As atividades da Sociedade dos Juvenis Adventistas abrangem a boa leitura, o estudo da Bíblia, perguntas bíblicas, música e programas desenvolvidos por eles com recursos providos pelo(a) professor(a) e pelo Departamento dos Jovens do Campo local. Visto que a música é um elemento muito importante no programa dos jovens, deve-se ter o cuidado de prover músicas que glorifiquem a DEUS. (Ver pág. 104.) Os líderes estudantis devem ser animados a desenvolver idéias de programas originais que envolvam a participação dos alunos. Devem ser planejadas atividades de testemunho, e cada ano pode ser adotado um projeto missionário especial, no qual seja aplicada uma parte das ofertas da sociedade. Também podem ser promovidas algumas atividades sociais. Algumas reuniões da Sociedade dos Juvenis Adventistas devem ser dedicadas ao estudo das Classes JA, como preparação para a investidura perto do fim do ano escolar.

[pág. 133]

23. Ministério Em Favor das Crianças Adventistas do Sétimo Dia. (Ver pág. 120.) – Maneiras de fortalecer a vida espiritual das crianças adventistas do sétimo dia podem abranger:

  1. A Escola Sabatina (sob a responsabilidade do Departamento da Escola Sabatina).
  2. Os Clubes dos Desbravadores e o dos Aventureiros (sob a responsabilidade do Departamento de Jovens).
  3. A reunião de oração das crianças, no mesmo tempo e lugar que a reunião de oração dos adultos, no meio da semana.
  4. Uma classe batismal continuada para crianças que expressem o desejo de ser batizadas, mas são consideradas muito novas.
  5. O Clube Bíblico das Crianças, aos sábados à tarde, que as envolva em significativa e apropriada observância do Sábado.
  6. Instrução religiosa semanal para crianças adventistas do sétimo dia que não freqüentam a escola da igreja.
  7. O ministério de pequenos grupos de crianças, trazendo crianças, cada semana, para discussões, estudo da Bíblia e companheirismo.
  8. O coro das crianças.
  9. O congresso das crianças (no âmbito da cidade, do distrito ou da Associação/Missão), a fim de promover oportunidades para as crianças e seus pais experimentarem preparo de liderança, inspiração e companheirismo.

24. Ministério em Favor das Crianças que Não Pertencem à Igreja. (Ver pág. 121.) – Além disso, a igreja poderá ampliar o ministério em favor das crianças por meio dos seguintes tipos de programas:

  1. Cuidado diário adventista do sétimo dia.
  2. Programas de rádio e televisão.
  3. Coros de crianças.
  4. Reuniões evangelísticas para crianças.
  5. Cursos bíblicos por correspondência.
  6. [pág. 134]

  7. Outros meios criativos de penetração missionária, como, por exemplo, clubes de ginástica para crianças.

25. Envolver as Crianças Adventistas do Sétimo Dia no Serviço aos Outros. (Ver pág. 121.) – Eis aqui algumas sugestões para desvencilhar o ilimitado potencial das crianças:

  1. Participação nos cultos.
  2. Participação no avanço missionário da igreja.
  3. Visitação a pessoas inválidas ou doentes.
  4. Execuções musicais.
  5. Serviços em favor das comunidade.
  6. Oportunidades de liderança no evangelismo, no estudo da Bíblia e em seminários sobre profecias.

[pág. 147]

[O Trabalho da Comissão de Nomeações]

A Comissão de Nomeações da igreja escolhe os seguintes:

Ancião(s)
Diácono(s)
Diaconisa(s)
Tesoureiro(a)
Vice-tesoureiro(a) ou vice-tesoureiro(a)s
Diretor(a) dos Ministérios das Crianças
Diretor(a) do Coro ou da Música
Organista ou Pianista da Igreja
Diretor(a) de Educação da Igreja
Diretor(es) dos Ministérios da Família
Diretora dos Ministérios das Mulheres
Coordenador(a) do Ministério em Favor de Pessoas com Deficiências
Diretor(a) dos Ministérios Pessoais
Secretário(a) dos Ministérios Pessoais
Coordenador(a) de Interessados
Diretor(a) dos Serviços em Favor da Comunidade
Diretor(a) da Escola Sabatina
Vice-diretores(as) da Escola Sabatina
Secretário(a) da Escola Sabatina
Vice-secretário(a) da Escola Sabatina
Diretores das Divisões da Escola Sabatina, incluindo os(as) diretores(as) das Divisões dos Adultos e de Extensão.
Secretário(a) do Fundo de Inversão da Escola Sabatina
Diretor(a) da Escola Cristã de Férias
Presidente da Associação Lar e Escola
Secretário(a)-tesoureiro(a) da Associação Lar e Escola
Diretora do Serviço Beneficente Social Adventista
Secretária-tesoureira do Serviço Beneficente Social Adventista
Diretor(a) da Sociedade dos Juvenis Adventistas
Vice-diretor(a) da Sociedade dos Juvenis Adventistas
Diretor(a) da Sociedade dos Jovens Adventistas
Vice-diretor(a) da Sociedade dos Jovens Adventistas
Conselheiro(a) da Sociedade dos Jovens Adventistas
Secretário(a)-tesoureiro(a) da Sociedade dos Jovens Adventistas
Vice-secretário(a)-tesoureiro(a) da Sociedade dos Jovens Adventistas
[pág. 148]
Diretor(a) de Música da Sociedade dos Jovens Adventistas
Organista ou Pianista da Sociedade dos Jovens Adventistas
Diretor(a) do Clube dos Desbravadores
Vice-diretor(a) do Clube dos Desbravadores
Diretor do Clube dos Aventureiros
Diretor(a) de Liberdade Religiosa
Diretor(a) de Comunicação ou Comissão de Comunicação da Igreja
Diretor(a) dos Ministérios de Saúde
Diretor(a) de Mordomia
Comissão da Igreja
Conselho Escolar
Outros oficiais que a igreja julgar necessário, exceto os professores da Escola Sabatina, que serão designados pela Comissão da Escola Sabatina e aprovados pela Comissão da Igreja.

[pág. 170]

Rádio e televisão

O Rádio e a televisão modificaram toda a atmosfera de nosso mundo moderno e puseram-nos em fácil contato com a vida, o pensamento e as atividades de todo o globo. O rádio e a televisão são grandes agentes educativos. Por estes meios podemos ampliar grandemente nosso conhecimento dos acontecimentos mundiais, beneficiar-nos de importantes estudos e da melhor música.

Lamentavelmente, porém, o rádio e a televisão também trazem aos ouvintes quase continuamente representações teatrais e muitas influências que não são sadias nem enobrecedoras. Se não usarmos de discernimento e decisão, o rádio e a televisão nos converterão os lares em teatros e cenários de espetáculos comuns e sórdidos.

A segurança para nós e para nossos filhos encontra-se em que determinemos, com a ajuda de DEUS, seguir a admoestação de Paulo: "Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que [pág. 171] justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento." Filip. 4:8.

Recreação e Diversão

A recreação é um refrigério bem apropriado para as faculdades mentais e físicas. A mente vigorosa e sã não requererá diversões mundanas, mas encontrará uma renovação de forças na boa recreação.

"Muitos dos divertimentos populares no mundo hoje, mesmo entre aqueles que pretendem ser cristãos, propendem para os mesmos fins que os dos gentios, outrora. Poucos há na verdade entre eles, que Satanás não torne responsáveis pela destruição de almas. Por meio do teatro tem ele operado durante séculos para excitar a paixão e glorificar o vício. A ópera com sua fascinadora ostentação e música sedutora, o baile de máscaras, a dança, o jogo, Satanás emprega para derribar as barreiras do princípio, e abrir a porta à satisfação sensual. Em todo ajuntamento onde é alimentado o orgulho e satisfeito o apetite, onde a pessoa é levada a esquecer-se de DEUS e perder de vista os interesses eternos, está Satanás atando suas correntes em redor da alma." – Patriarcas e Profetas, págs. 459 e 460. (Ver pág. 213.)

Advertimos vigorosamente contra a influência sutil e sinistra do cinema, que não é lugar para o cristão. Os filmes dramatizados que apresentam visualmente e por sugestão os pecados e crimes da humanidade – homicídios, adultérios, roubos e males semelhantes – são responsáveis em não pequena proporção pelo presente desmoronamento da moralidade. Apelamos para os pais, as crianças e os jovens a que fujam desses lugares de diversão e se abstenham de assistir a esses filmes que glorificam os atores e profissionais. Se nos deleitássemos no divino e grande mundo da Natureza, e no grande romance revelado nos seres humanos e nas obras divinas, não nos sentiríamos atraídos pelas pueris representações teatrais.

Outra espécie de diversão que exerce má influência é a dança. "O divertimento da dança, segundo é praticado em nossos dias, é uma escola de depravação, uma terrível maldição para a sociedade." – Mensagens aos Jovens, pág. 399. (Ver II Cor. 6:15-18; I João 2:15-17; Tia. 4:4; II Tim. 2:19-22; Efés. 5:8-11; Col. 3:5-10.)

Não patrocinemos diversões comercializadas, unindo-nos às multidões de mundanos, negligentes e amantes do prazer, que são "antes amigos dos prazeres que amigos de DEUS".

A recreação é necessária. Devemos esforçar-nos por tornar a igreja o centro da amizade e recreação de nosso povo. Recomendamos que em todo lar [pág. 172] em que há crianças sejam promovidos os elementos que proporcionem uma válvula de escape para as energias criadoras da juventude. Associação e recreação sadias podem ser providas por meio de organizações musicais, Classes JA e grupos de atividade missionária.

A Música

"Fazia-se com que a música servisse a um santo propósito, a fim de erguer os pensamentos àquilo que é puro, nobre e edificante, e despertar na alma devoção e gratidão para com DEUS." - Patriarcas e Profetas, pág. 594. "[JESUS] entretinha em cânticos comunhão com o Céu." - O Desejado de Todas as Nações, pág. 73.

A música é uma das artes mais sublimes. A boa música não apenas proporciona prazer, mas eleva a mente e cultiva as mais finas qualidades. Os cânticos espirituais foram amiúde usados por DEUS para comover o coração dos pecadores e levá-los ao arrependimento. A música desvirtuada, ao contrário, destrói o ritmo da alma e quebranta a moralidade.

Grande cuidado deve ser exercido na escolha da música. Toda melodia que pertença à categoria do "jazz", "rock" ou suas formas correlatas, e toda expressão de linguagem que se refira a sentimentos tolos ou triviais, serão evitadas pelas pessoas verdadeiramente cultas. Usemos apenas a boa música, em casa, nas reuniões sociais, na escola e na igreja.

[pág. 174]

[As Relações Sociais]

As reuniões sociais dos adultos e jovens devem ser ocasiões dedicadas, não a diversões levianas e frívolas, mas a uma feliz convivência social e ao aperfeiçoamento das qualidades da mente e da alma. A boa música, a conversa elevada, os bons recitativos, as projeções apropriadas, fixas ou movimentadas, os jogos cuidadosamente escolhidos por seu valor educativo e, sobretudo, a elaboração e a execução de planos dedicados ao esforço missionário, podem promover programas para reuniões sociais que abençoarão e fortalecerão a vida de todos. O Departamento dos Jovens Adventista da Associação Geral publicou informação útil e sugestões práticas para a direção de reuniões sociais e para proporcionar orientação em outras relações sociais.


Texto do Guia Para Anciãos
GUIA PARA ANCIÃOS - 1999 - Cap. 7 "O Ancião e o Culto" pág. 105

Parte do Culto - Música

A música, apresentada com bom gosto, exerce irresistível influência no elevar o coração a Deus. Faz parte do culto assim como a oração. Com efeito, as experiências espirituais relatadas por escritores de hinos cânticos cristãos tornam-se a oração dos adoradores enquanto cantam. Escolha pessoas apropriadas, dentre sua congregação, para planejarem a música para o culto. Peca-lhes que, se for possível, harmonizem o tema da música com o assunto do sermão. Na medida do possível deve-se incluir música instrumental e cantada. Descubra maneiras, em sua cultura, de incorporar instrumentos musicais que ajudem a conduzir as pessoas a experiências de adoração. Embora alguns adoradores possam ser levados a adoração apenas pela melodia, muitos necessitam de palavras. Por isso, a música vocal tem geralmente prioridade sobre a música instrumental.

Os corais são uma grande bênção no culto, mas não devem substituir o canto congregacional. Raramente deve o canto ser feito por uns poucos. A aptidão de cantar é um talento que exerce influência, a qual Deus deseja que todos cultivem e empreguem para gloria de Seu nome. - Evangelismo, pág. 504.